Brasil: Chega de Barbárie! Justiça para Moïse!

0
20

UITBB E FLEMACON manifestam indignação pelo assassinato do jovem migrante congolês no Brasil: Justiça por Moïse!

A Federación Latinoamericana de Trabajadores de La Construcción, Madera y Materiales de La Construcción – FLEMACON e a Union International of Workers in the Building, Wood, Building Materials and Allied Industries – UITBB vem a público manifestar total indignação pelo crime odioso ocorrido no Brasil, com o assassinato do jovem trabalhador Moïse Mugenyi Kabagambe, migrante congolês de 24 anos, que saiu de tua terra para fugir da guerra e foi viver no Brasil, onde prestava serviços, informalmente, num quiosque de praia, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

O jovem Moïse trabalhava como ajudante de cozinha e servia nas mesas, e de acordo com as informações policiais teria cobrado o pagamento atrasado de duas diárias no valor de R$ 200, e por isso foi espancado, torturado por cerca de 15 minutos e assassinado, no dia 24/01, no próprio local de trabalho, por três agressores, dentre eles o gerente do quiosque. Com as mãos e os pés amarrados, tomou chutes, socos, vários golpes com taco de beisebol e enforcamento.

A UITBB e a FLEMACON reafirmam que nenhum homem, mulher ou criança pretende arriscar a vida viajando por dias em mar agitado em navios afundando ou atravessando território perigoso em condições hostis. Eles fazem isso porque não têm outra opção para sobreviver.

E como se isso não bastasse, quando os migrantes chegam a um local, são explorados impiedosamente pelos empregadores, com a tolerância dos governos, que lhes impõem restrições, não lhes permitem trabalhar com todos os benefícios dos trabalhadores locais, os confrontam com trabalhadores locais, alimentando o ódio, o assédio, o racismo e a xenofobia e, assim, provocando agressões, como a que ocorreu no Brasil, que resultou na morte do jovem migrante Moïse.

A UITBB e a FLEMACON expressam total solidariedade aos familiares de Moïse Mugenyi Kabagambe e toda a comunidade congolesa e aos migrantes que vivem no Brasil e em demais países do mundo. E exigem rigorosa punição aos que praticaram essa barbárie.

Justiça por Moïse!