26 de julho, Dia Nacional da Rebeldia Cubana (fotos)

0
70

Fotos y enlaces de actos

Nicósia, Chipre

O secretário-geral da UITBB, Michales Papanicolaou, fez o discurso principal:
https://fb.watch/m28WBnqosv/

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=pfbid02Dq2CjFgXsKRE7e4ZgXfXEUihDvWJgAymRppiAmUpDupAU7hFbj6r7gEqVaLJWVf8l&id=100068270874671&sfnsn=wiwspwa&mibextid=VhDh1V

México y Cuba – FSM Encuentro de Juventud

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=pfbid0hh1DZMPrPPyeiGWncokrkjrDiHTGyCtk9G2kVa2DPgzgRjGabycb3NNdWP1N7ewfl&id=100001664153559&sfnsn=wiwspwa&mibextid=VhDh1V

https://ctb.org.br/internacional-2/ctb-participa-do-1o-encontro-latino-americano-e-caribenho-da-juventude-trabalhadora-da-fsm-no-mexico/

Bahia, Brasil

Perú, Lima – FTCCP

26 de julho, Dia Nacional da Rebeldia Cubana: América Latina Abraça o Caribe

A Federação Latino-Americana e do Caribe dos Trabalhadores da Construção, Madeira e Materiais de Construção – FLEMACON saúda publicamente a Central de Trabalhadores de Cuba – CTC, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Construção – SNTC, os trabalhadores, o povo cubano e o governo do Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, neste 26 de julho, Dia Nacional da Rebeldia Cubana.

A FLEMACON convoca os sindicatos filiados a divulgar em suas bases e promover atividades solidárias com Cuba e contra o bloqueio genocida do império estadunidense, de 24 a 26 de julho. Essa mobilização é importante, foi definida em reunião da Rede Continental Latino-Americana e Caribenha de Solidariedade a Cuba, no dia 7 de julho, que contou com a presença da presidente da FLEMACON, Lúcia Maia.

Vamos promover ações, a partir do dia 24 de julho, com a Campanha América Latina Abraça o Caribe. No dia 25 de julho, a solidariedade com Cuba de todo o mundo deve se manifestar nas ruas, com criatividade e ferramentas próprias, buscar fazer o melhor, comemorar o 26 de julho, denunciar o bloqueio genocida e promover Cuba.

No Brasil, o Cebrapaz, a Associação José Martí, a FLEMACON, a Rede Continental Latino-Americana e Caribenha de Solidariedade a Cuba, a Central de Trabajadores y Trabajadores de Brasil – CTB e sindicatos filiados realizaram ato público contra o bloqueio, no dia 26 de julho, às 15h, na Praça Municipal, no centro histórico de Salvador, capital do estado da Bahia.

No dia 26 de julho acontecerá a maior festa em Santiago de Cuba, com atividades ao longo do dia, com transmissão para as redes e a participação de todos. Há 70 anos Cuba segue os princípios declarados no assalto ao quartel-general Moncada, que em 1953 lançou a semente e deu início à Revolução Cubana que, em 1º de janeiro de 1959, triunfaria contra a ditadura de Fulgêncio Batista.

A FLEMACON declara que este é momento de todos nós, solidários com a Revolução Cubana, intensificarmos a luta contra o bloqueio estadunidense e mobilizarmos a cooperação internacional com a ilha que ousou conquistar sua independência e soberania contra o império mais poderoso e genocida da história da humanidade.

Viva Cuba!
Não ao bloqueio!
Venceremos!

LUCIA COSTA MAIA
Presidente da FLEMACON

Nota da Redação:

Em artigo publicado no site “cubaenresumen.org“, o Frei Betto, frade dominicano, jornalista graduado e escritor brasileiro, que passou parte do mês de junho em Havana, Cuba, assessorando o Plano de Soberania Alimentar e Educação Nutricional (Plano San), faz uma análise sobre a situação atual de Cuba e a importância da solidariedade.

Leia abaixo um trecho e acesse o link para ler o artigo completo:

“Agora são mais evidentes os efeitos de um conjunto de fatores que afetam severamente a vida da população: o bloqueio genocida imposto pelos Estados Unidos há mais de 60 anos; a pandemia; a crise climática; e a guerra entre Rússia e Ucrânia, fornecedores de insumos, fertilizantes e turistas para a ilha caribenha.

Com pouco mais de 11 milhões de habitantes, a economia do único país socialista da história do Ocidente depende da exportação de níquel (cujo valor oscila muito no mercado internacional); a produção de charutos (cerca de 80 milhões de unidades por ano) e rum; envio de professores e doutores para o exterior; e o turismo, agora enfraquecido pelas novas medidas de bloqueio.

Biden manteve Cuba na lista de países que “promovem o terrorismo” e exigiu vistos para entrar nos Estados Unidos de europeus que visitam a ilha”.