Campanha: América Latina Abraça o Caribe

0
64

A FLEMACON convoca os Sindicatos e entidades filiadas a divulgar em suas bases e promoverem atividades em solidariedade à Cuba e contra o bloqueio genocida do império estadunidense, de 24 a 26 de julho.

É importante essa mobilização, conforme discutido e definido em reunião da Red Continental Latino-americana e Caribenha de Solidariedade com Cuba, no último sábado, dia 7 de julho, com a participação da presidenta da FLEMACON, Lúcia Costa Maia.

Vamos encaminhar e promover algumas ações, a partir do dia 24 de julho, com a Campanha América Latina Abraça o Caribe.

No dia 25 de julho, a solidariedade a Cuba de todo o mundo, deve se manifestar nas ruas , com a criatividade e ferramentas próprias, buscar fazer o melhor, para celebrar o dia 26 de Julho, denunciar o bloqueio genocida e divulgar Cuba.

No dia 26 de Julho a celebração maior será em Santiago de Cuba, com atividades durante todo o dia, com transmissão para as redes e a participação de todos e todas.

Em artigo publicado no site “cubaenresumen.org”, Frei Betto, frade dominicano, jornalista graduado e escritor brasileiro, que passou parte do mês de junho em Havana, Cuba, assessorando o Plano de Soberania Alimentar e Educação Nutricional (Plano San), faz uma análise sobre a situação atual de Cuba e a importância da solidariedade.

Leia abaixo um trecho e acesse o link para ler o artigo completo:

“Agora são mais evidentes os efeitos de um conjunto de fatores que afetam severamente a vida da população: o bloqueio genocida imposto pelos Estados Unidos há mais de 60 anos; a pandemia; a crise climática; e a guerra entre Rússia e Ucrânia, fornecedores de insumos, fertilizantes e turistas para a ilha caribenha.

Com pouco mais de 11 milhões de habitantes, a economia do único país socialista da história do Ocidente depende da exportação de níquel (cujo valor oscila muito no mercado internacional); a produção de charutos (cerca de 80 milhões de unidades por ano) e rum; envio de professores e doutores para o exterior; e o turismo, agora enfraquecido pelas novas medidas de bloqueio.

Biden manteve Cuba na lista de países que “promovem o terrorismo” e exigiu vistos para entrar nos Estados Unidos de europeus que visitam a ilha”.

 

Frei Betto: “Es hora de que todos, en solidaridad con la Revolución Cubana, intensifiquemos la lucha contra el bloqueo estadounidense y movilicemos la cooperación internacional”